sábado, julho 24, 2010

O medo faz a hora.


Medo - O medo é um sentimento que é um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como psicologicamente.

Essa é uma definição, eu diria, técnica, científica para o que vem a ser medo.
Mas, uma vez conversando com um amigo, onde falavamos sobre "medo", ele definiu de maneira interessante até, e concluiu da seguinte forma:

-O medo é o nada querendo ser alguma coisa.

Bom, até que faz algum sentido, quando o sentimento de medo provêm de algo abstrato, imaterial, que possa nem mesmo existir.
Eu particularmente, não medo de nada, a não ser....já, já eu explico.Mas e você, do que você tem medo, quais são seus pavores? suas paúras?
Medo do escuro, ou o que ele possa revelar, medo de "arma penada"(como se diz no interior), medo do futuro ou medo do passado, medo de perder seu amor, medo da balança e tantos outros...Existem algumas palavras que resumem determinados tipos de medo como, aracnofobia, claustrofobia e outras fobias por ai.

Algumas pessoas dizem a melhor de maneira de derrotar o (seu) é encará-lo de frente, bem macho mesmo, numa atitude de eu sou mais eu e pronto e ai então você começa a depurar e trabalhar o medo. Porém, ter medo pode não ser necessáriamente uma atitude de "covardia", muitas vezes pode servir como alerta e até livrar-nos de perigos que poderiam de fato nos prejudicar, por exemplo, se você tem medo de velocidade, difícilmente estará envolvido em um acidente grave de trânsito, se você tem medo de água, provavelmente não morrerá afogado, e por ai vai. Foram dois exemplos toscos, mas que mostram como o medo pode ter seu lado positivo.

O meu maior medo são as.....baratas, my God, elas me causam um algo indescrítivel e logo que vejo uma delas ou elas me veem, dispara todo aquele processo de descarga de adrelina em altas doses, o pior de tudo é que elas insitem em me persiguir em certas ocasiões. Bom, esse mesmo amigo de que falei a pouco, me disse que eu deveria enfrentar a barata de frente ou de cima, como ele mesmo fez, e isso ele o fez de uma maneira que para mim ainda é i-m-p-o-s-s-í-v-e-l.

O dia que ele tomou essa decisão, foi quando ele então teve seu último encontro com a "distinta", pois a partir dai medo de barata, never more, num ato de extrema coragem e reunindo todas as suas forças ele se viu frente a frente com uma delas, daquelas grandes, sarada mesmo caminhando sobre a máquina de lavar. Os dois se entreolharam, ambos esboçaram desejo de fugir e cada um analisava sua rota de fuga, mas não, aquele encontro seria definitivo, ele ali em pé ao lado da máquina de lavar, pupilas dilatadas, mãos trêmulas enquanto o pavoroso inseto se mantinha quase imóvel, movendo somente suas antenas(pesquisando o terreno talvez), mas ostentando aquela posição imponente e desafiadora, bem típicas e que somente uma barata sabe ostentar.
É agora, pensou ele, minha tática será um ataque fulminante, por cima, mas a famigerada irá sucumbir lentamente. E foi ai, que num ato que eu considerei de extrema loucura e que está bem longe da minha mortal capacidade, ele aproximou seu dedo indicador até que o mesmo tocasse aquelas asas de cor amarronzada, ela tentou escapar mas foi em vão, o sujeito estava mesmo afim de acabar com tudo ali e com seu dedo foi exercendo pressão sobre a barata, a princípio sentindo uma certa resistência mas eis que as asas começaram a se abrir e ele já sentia o corpo frio daquele maldito inseto, então tomado de súbita coragem acompanhada de grande revolta com um gesto de alta precisão, extremamente violento e também tomado de um topor inenerrável...ele, sim ele mesmo expremeuuuuu a baraaataaa com a ponta do dedo indicador da sua heróica mão direita e permaneceu ali até que seu medo fosse todo dissipado, como se a morte daquela "nojenta" levasse para além túmulo o medo lascinante desse meu amigo...

Por motivos óbvios não vou descrever aqui o que o então e agora "pobre" e "incauto" inseto....xapralá, é fácil imaginar a cena.

Até a próxima...

2 comentários:

Fabíola disse...

OI. Boa noite. Para quem tinha tanto medo assim e barata, até que ele tomou uma decisão heróica. NUnca imaginei que alguém que tivesse tanto medo assim desse inseto, pudesse tomar a decisão de espremê-lo com a mão... Eca... Que nojo! Morro de medo de barata também... Ugh!

Lady Murphy disse...

Eca!!! que nojooooo! Enquanto lia, fiquei imaginando, prevendo na verdade que ele porventura , pegaria lentamente um chinelo ou qualquer outro objeto maciço e a esmagaria dessa forma, quebrando assim a tampa da máquina de lavar. Mas eu estava redondamente enganada. A atitude dele foi surpreendente.